Comunicar Mais      
Salvador lança aplicativo de enfrentamento ao Aedes AegyptiCiência & Tecnologia    Imprimir

17/09/2016 08:00
Salvador lança aplicativo de enfrentamento ao Aedes Aegypti
Aplicativo promete ser o mais completo para o enfrentamento das arboviroses desenvolvidas no país

Redação CM 1 comentrio          

Ferramenta tecnológica de rápido e fácil acesso, capaz de registrar focos do Aedes aegypti, além de notificar em tempo real os casos suspeitos de dengue, chikungunya e zika vírus. Esse é o objetivo do aplicativo Mosquito Zero, desenvolvido pelo gerente em pesquisa do Núcleo de Tecnologia da Informação da Secretaria Municipal da Saúde, Alex Sandro Correia. 

De acordo com a Secretaria da Saúde, o aplicativo é o mais completo para o enfrentamento das arboviroses desenvolvidas no país, e estará disponível para download a partir da segunda-feira (19), apenas para plataforma Android. Nesse primeiro momento, equipes responderão as denúncias de focos feitas através do software nos bairros da Palestina e Itaigara, localidades com maior índice de infestação do vetor na capital, escolhidos para realização do projeto piloto da estratégia.  

Também na segunda-feira, a partir das 9h, agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) percorrerão as ruas da Palestina para orientar os moradores da localidade sobre como acessar o dispositivo e realizar as denúncias dos possíveis focos identificados. Um Centro de Monitoramento foi montado exclusivamente para o registro em tempo real das informações obtidas por meio do aplicativo, além de acionar os órgãos públicos para a eliminação dos criadouros.



“Com um smartfone ou tablet, qualquer cidadão poderá tirar uma foto de um possível foco do mosquito e enviar para nossa central de monitoramento. O sistema operacional registrará as coordenadas geográficas do local e as informações coletadas servirão como subsídio para nortear as ações contingência do vetor”, explicou Alex Sandro Correia, destacando que além de ter caráter de registro, o app estimula medidas preventivas que impactam na proliferação do mosquito.

Na terça-feira (20), as equipes de trabalho seguirão para região do Itaigara, onde darão continuidade às ações educativas referente ao uso do aplicativo. Mais informações sobre a nova ferramenta no www.mosquitozero.com.br.

Prêmio - Em janeiro deste ano, 
a vereadora Ana Rita Tavares (PMB) acompanhada por Alex Sandro Correia, pediu apoio ao secretário José Antônio Rodrigues Alves para o projeto do idealizador do aplicativo. Em 2014, a iniciativa venceu o concurso Ideias Inovadoras da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), o único no Brasil aprovado no chamamento público do Ministério da Saúde para financiamento. 



 



Notcias Relacionadas

  • Plataforma Mosquito Zero vence competição que visa atrair investidores

  • Drone que combate Aedes Aegypti é apresentado na Campus Party

  • Feira de saúde apresenta soluções para combater causas e consequências da Zika em Salvador

  • Febre amarela: 100 mil doses da vacina já foram aplicadas em Salvador, saiba onde se vacinar

  • Aplicativo Mosquito Zero é pauta em encontro Nacional que acontece em Brasília

  • Aplicativo Mosquito Zero já registrou mais de 2 mil downloads

  • Chikungunya deve matar mais do que a dengue e zika em 2017

  • Agente de endemias de Salvador é acusado de quebrar objetos religiosos em terreiro de candomblé

  • Mutirão realiza exames oftalmológicos em bebês com microcefalia

  • Bahia tem 180 casos suspeitos de microcefalia em 2015


  • ComentriosComentar Notcia
    PV1khCMhIIku
    01/03/2017 01:41
    Wow! Thanks for checking it out and letting us know. It is just insane that I never read labels… and now when I read stuff it just makes me go “huh?” I will, rather am, i0;sw2tchingࣩ to natural dry fruits for sure.
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE