Comunicar Mais      
Barroso libera para julgamento do STF ação sobre auxílio-moradia para juízesBrasil    Imprimir

14/11/2016 21:00
Barroso libera para julgamento do STF ação sobre auxílio-moradia para juízes
Impacto nas contas públicas é de mais de R$ 100 milhões por ano

Agência Brasil 1 comentrio          

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso liberou hoje (14) para julgamento um recurso que trata da validade do pagamento de auxílio-moradia para juízes. A data do julgamento precisa ser definida pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

O pagamento do benefício foi autorizado liminarmente em 2014 pelo ministro Luiz Fux em outra ação de trata do assunto. O valor atual do auxílio-moradia é de R$ 4,3 mil. O benefício está previsto  na Lei Orgânica da Magistratura (Lei Complementar 35/1979), mas tem a validade contestada pela Advocacia-Geral da União (AGU).

Com a decisão de Fux, foram beneficiados juízes da Justiça Trabalhista, da Justiça Militar e magistrados de nove estados que ainda não recebiam auxílio-moradia até então. Na época, a decisão atingiu cerca de 6,7 mil juízes e desembargadores. O impacto nas contas públicas é de mais de R$ 100 milhões por ano.

Após a decisão do STF, o Ministério Público da União (MPU) também aprovou uma resolução para estender o benefício a seus membros.


Notcias Relacionadas

  • Por 6 votos a 5, ministros do STF negam habeas corpus preventivo a Lula

  • Gilmar Mendes concede prisão domiciliar a Adriana Ancelmo

  • CNJ decide investigar folha de salários de juízes de todo o país

  • Emenda constitucional que autoriza vaquejadas é promulgada pelo Congresso

  • Entidades defendem no STF mudança de registro civil para transexuais

  • STF nega pedido de liminar do deputado Ricardo Izar para barrar PEC da vaquejada

  • Ato nacional contra a vaquejada mobiliza protetores de animais em Salvador

  • Fórum da Proteção Animal da Bahia discute proibição da vaquejada

  • OAB Bahia discute proibição da vaquejada pelo STF

  • Polêmica da proibição da vaquejada é debatida na TV Assembleia

  • Brasília: Ana Rita Tavares representa proteção animal da Bahia em Audiência Pública

  • Vereadora de Salvador classifica vaquejada como "circo de horrores" e elogia STF ao proibir prática

  • Supremo Tribunal Federal considera vaquejada ilegal

  • STF decide que tatuados não podem ser barrados em concursos públicos

  • CCJ do Senado aprova reajuste para salários de ministros do Supremo Tribunal Federal

  • STF determina que WhatsApp seja imediatamente restabelecido em todo país

  • STF quebra sigilo de advogados que atuam na Operação Lava Jato


  • ComentriosComentar Notcia
    PtMoOqDdYNE
    01/03/2017 02:58
    margareth rago October 19, 2012 GAbi, hoje falamos de vc numa roda de conversa com o Tony Hara, dobre outros modos de ação política, que escapem da retórica democrática, dos lugares-comuns, do “faça o que eu mando, mas não o que eu fa2l8RÃ1;&#o230;Foucau§t continua sendo fundamental, os Cínicos na Grécia antiga, Diógenes, Epiteto sabiam disso tudo…bj
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE