Ato nacional contra a vaquejada mobiliza protetores de animais em SalvadorGrande Salvador    Imprimir

27/11/2016 18:00
Ato nacional contra a vaquejada mobiliza protetores de animais em Salvador
Protesto aconteceu no Farol da Barra e mais 38 cidades brasileiras

Redação CM 1 comentrio          

Sob o grito de ordem: “vaquejada não é cultura, é tortura”, ativistas da proteção animal da Bahia realizaram, neste domingo (27), uma caminhada, do Farol da Barra ao Cristo, em Salvador em protesto à PEC 50/2016, que pretende tornar a prática patrimônio cultural. A mobilização nacional foi simultânea e contou com a adesão de mais 38 cidades brasileiras em 19 estados.

Mesmo depois de a vaquejada ser considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 6 de outubro, 27 senadores aprovaram uma emenda à Constituição com a criação da PEC 50/2016. A manobra é encabeçada pelo senador baiano Otto Alencar (PSD), e conta com o apoio de mais dois eleitos pela Bahia: Lídice da Mata (PSB) e Roberto Muniz (PP). 

A PEC 50/2016 acrescenta o inciso 7º ao art. 225 da Constituição Federal, para permitir a realização das manifestações culturais registradas como patrimônio cultural brasileiro que não atentem contra o bem-estar animal. 

Além da PEC 50/2016, o Senado aprovou o projeto de lei (PCL 24/2016), do deputado Capitão Augusto (PR-SP), que torna vaquejadas e rodeios ‘manifestação cultural nacional e patrimônio cultural imaterial’. O texto já foi aprovado pela Câmara, segue para sanção presidencial.

As manifestações deste domingo, foram organizadas pelo ‘Movimento Crueldade Nunca Mais’ e têm o apoio do Fórum Animal, considerada a maior rede da causa no Brasil, com cerca de 130 entidades afiliadas em todo o País. 


​Em outubro, STF derrubou uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada. A corte entendeu que a atividade impõe sofrimento aos animais e, portanto, fere princípios constitucionais que veta práticas de tortura. “Estamos aqui na tentativa de mobilizar nossos governantes e dizer a eles que cultura não é sofrimento; dor, morte, mas alegria e vida!”, disse a vereadora por Salvador Ana Rita Tavares (PMB), que acompanhou o protesto.

Além de Ana Rita Tavares, participaram da caminhada as ONGs Terra Verde Viva e Rede de Mobilização pela Causa Animal, da cidade de Lauro de Freitas (Remca), além da União de Entidades Protetora dos Animais da Bahia (Unimais).



Notcias Relacionadas

  • Emenda constitucional que autoriza vaquejadas é promulgada pelo Congresso

  • STF nega pedido de liminar do deputado Ricardo Izar para barrar PEC da vaquejada

  • Rede Record aborda polêmica das vaquejadas na madrugada desta sexta

  • Fórum da Proteção Animal da Bahia discute proibição da vaquejada

  • OAB Bahia discute proibição da vaquejada pelo STF

  • Polêmica da proibição da vaquejada é debatida na TV Assembleia

  • Brasília: Ana Rita Tavares representa proteção animal da Bahia em Audiência Pública

  • Vereadora de Salvador classifica vaquejada como "circo de horrores" e elogia STF ao proibir prática

  • Supremo Tribunal Federal considera vaquejada ilegal


  • ComentriosComentar Notcia
    3IbA0sNa
    28/02/2017 23:48
    this particular project (which has since been indefinitely placed on the back burner) was never going to have that many rows. It’s definitely good to keep that in mind for the fueeut!Chrers for the tip!
    PUBLICIDADE




    PUBLICIDADE