Comunicar Mais      
Ministério do Meio Ambiente libera R$ 730 mil para recuperação de nascentes na BahiaGrande Salvador    Imprimir

08/02/2017 17:45
Ministério do Meio Ambiente libera R$ 730 mil para recuperação de nascentes na Bahia
Valores serão destinados à recuperação de florestas que margeiam nascentes nas bacias dos rios Paraguaçu, Subaé e Pojuca, áreas de preservação permanentes na Região Metropolitana de Salvador

Redação CM 0 comentrio          

O Fundo Nacional do Meio Ambiente liberou a primeira parcela do convênio estabelecido com a Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs) para a recuperação de nascentes na Bahia. Os primeiros recursos, no valor de R$ 730 mil de um total de R$ 2,8 milhões, serão destinados à recuperação de florestas que margeiam nascentes nas bacias dos rios Paraguaçu, Subaé e Pojuca, áreas de preservação permanentes (APPs) na Região Metropolitana de Salvador (RMS) que contribuem para o abastecimento de água de cerca de 4 milhões de habitantes. 
 
"Além das nascentes e das áreas que margeiam os corpos d´água, o projeto contribui também para preservar a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo, manter e ampliar a beleza cênica das paisagens”, destaca o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto. 
 
A Sihs implementará ainda um plano para o pagamento por serviços ambientais, no modelo Produtores de Água, que envolverá a população local na recuperação dos mananciais, gerando emprego e renda. Somente a bacia do rio Paraguaçu, com 614 quilômetros de extensão, responde por cerca de 60% do total do abastecimento de água na Grande Salvador, que corresponde a 2,3 milhões de baianos em 86 municípios. 
 
“Recuperar a vegetação nativa no entorno das nascentes e das áreas marginais dos rios, contribuintes diretos dos reservatórios responsáveis pelo abastecimento de água da Região Metropolitana de Salvador, tem como propósito ampliar a oferta de água para essa região, tida como de alta criticidade hídrica", explica o titular da Sihs. 
 
Os resultados práticos do projeto serão monitorados pela Agência Nacional de Águas (ANA). Os recursos vêm da parceria com o Fundo Clima, o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal, o Fundo Socioambiental Caixa, o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos/Ministério da Justiça e a ANA.

Lagoa dos Patos - Em Salvador, 
moradores das imediações da Lagoa dos Patos, na Pituba, realizaram, ndia 1º, uma manifestação em defesa do manancial. O grupo fez uma caminhada em volta da Lagoa empunhando cartazes sob o coro: "salvem a Lagoa!" 
- Queremos chamar a atenção dos órgãos públicos da importância de se preservar um dos poucos espaços verdes da nossa cidade", disse uma das organizadoras da passeata, Eliana Frazão.

Na sexta-feira (27) uma força-tarefa formada pela vereadora Ana Rita Tavares (PMB), agentes da Prefeitura e do Zoológico de Salvador, resgataram 20 gansos e 16 patos que ainda viviam na Lagoa dos Patos, no bairro da Pituba.

Os animais estavam sendo ameaçados pelo baixo nível de água do local, que sofre com secas seguidas nos últimos anos.

A Lagoa dos Patos já foi habitat de diversas espécies nativas, como peixes, cobras e até um jacaré mas, nos últimos anos, somente as 36 aves sobreviviam em meio a pouca água esverdeada, lama e folhas.
Os animais serão levados a uma fazenda 
cedida pelo secretário João Roma até que a Lagoa seja revitalizada. 

Revitalização - Em 2013, Ana Rita havia pedido a recuperação da Lagoa dos Patos, que fica entre as ruas Piauí e Maranhão. Na época, ela apresentou projeto solicitando à Secretaria da Cidade Sustentável a criação de um programa de revitalização do ecossistema e conservação das áreas comuns da lagoa.

De acordo com a parlamentar, a biodiversidade da Lagoa dos Patos está ameaçada desde o final de 2012 em decorrência de um processo avançado de seca que ameaça a fauna e flora locais. “Temos lá na lagoa peixes, gansos, patos, jacarés e tartaruras que estão correndo o risco de morte”, declarou Ana Rita.

A vereadora lembrou ainda, que a Lagoa dos Patos é um espaço público de recreação e lazer para muitas famílias que moram em sua proximidade, já que o espaço conta com pista de cooper, equipamentos para atividades físicas e área verde abundante.

Naquela ocasião, uma equipe da Secretaria da Cidade Sustentável esteve no local para análise e emissão de parecer técnico. 

 


Notcias Relacionadas

  • ​Greve geral de ônibus está mantida para quarta-feira em toda Bahia

  • Câmara Municipal aprova projeto que visa criação de abrigos para animais comunitários de Salvador

  • Meio Ambiente: a morte anunciada da Lagoa dos Patos

  • Podas irregulares de árvores podem gerar multas de até R$ 50 mil

  • Queima de lixo em áreas urbanas é crime ambiental

  • Grupo da Ufba representará o Brasil em competição de corte simulada em Direito Ambiental

  • Aplicativo registra atropelamento de animais nas estradas

  • OAB Bahia discute proibição da vaquejada pelo STF

  • Resíduos de óleo vegetal coletados na Ufba vão servir à produção de biodiesel

  • Brasil terá santuário de elefantes na Chapada dos Guimarães

  • O peso da pecuária para os gases-estufa

  • Britânicos reduzem em 85% uso de sacos plásticos

  • Delegacia de Proteção aos Animais, já!

  • Banho de mar: Inema aponta 11 praias impróprias para banho em Salvador e região metropolitana

  • Inema e PM apreendem madeira não licenciada em Muquém do São Francisco

  • Obra no Corredor da Vitória é embargada para evitar dano ambiental


  • ComentriosComentar Notcia

    Ainda no existem comentrios para esta notcia.
    Seja o primeiro a comentar!
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE