Dia da Mulher é celebrado na Câmara Municipal de SalvadorPolítica    Imprimir

17/03/2017 19:00
Dia da Mulher é celebrado na Câmara Municipal de Salvador
Sessão Solene foi marcada pela apresentação das políticas públicas para a Bahia

Redação CM 0 comentrio          

A sessão solene em comemoração pelo Dia Internacional da Mulher realizada na Câmara Municipal de Salvador, nesta sexta-feira (17), no Plenário Cosme de Farias, foi marcada pela apresentação de políticas públicas para a redução da desigualdade de gênero e da violência contra a mulher, em desenvolvimento pela prefeitura e governo do estado. 

Na oportunidade, profissionais das mais diversas áreas foram homenageadas pelas vereadoras que compõem a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher (CDDM). A atividade contou com a participação do presidente do Legislativo Municipal, vereador Leo Prates (DEM), apresentação do Coral da Câmara e da cantora moçambicana Ofélia Madeira. 

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, vereadora Aladilce Souza (PCdoB), afirmou que a melhor forma de homenagear as mulheres é refletindo sobre a situação em que elas vivem em nossa cidade. “Salvador possui três milhões de habitantes e 53% são mulheres. Esta é a mais pobre entre as capitais e a pobreza e o desemprego afetam mais as mulheres, que representam 26% dos desempregados. Somos responsáveis pelo sustento de 44% dos lares da capital. Precisamos discutir a situação da mulher e como o poder público responde as suas demandas”, analisou. 


Já o presidente Leo Prates frisou que a Comissão da Mulher dá visibilidade em situações de machismo e violência, além de ajudar a sociedade na busca pela igualdade de gênero. “Nesta legislatura temos oito mulheres, mas desejo que elas sejam maioria nesta Casa e ocupem 22 cadeiras. São elas hoje que conduzem nossa sociedade e aqui dentro também desenvolvem um importante trabalho”, disse o vereador. 

Ana Rita Tavares lembrou das mulheres protetoras dos animais. Para ela, estas são invisíveis aos olhos de boa parte da sociedade. "É preciso voltar os olhos para essas mulheres, que fazem um trabalho humanitário e essencialmente de amor. Os animais têm a proteção constitucional as protetoras fazem o papel do poder público", homenageou. 


Políticas Públicas - A apresentação das políticas públicas ficou sob a responsabilidade das secretárias estadual e municipal de Políticas para as Mulheres. De acordo com Aladilce, o material servirá de subsídio para o trabalho do colegiado.
A titular da Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres (SPM), Julieta Palmeira, atentou para a importância da autonomia econômica das mulheres: “Temos que fortalecer a rede de atendimento da mulher em situação de violência. Com a autonomia econômica as mulheres vão conquistando o seu espaço dentro da sociedade, para que não dependam de ninguém. Precisamos de ações concretas que envolvam o governo e a sociedade”. 

A SPM desenvolve programas como o Casa de Farinhas Móveis, Cravos e Rosas na Paz, entre outros, além do trabalho integrado com a Polícia Militar para o desenvolvimento da Ronda Maria da Penha, ação policial voltada para a proteção das mulheres vítimas de violência. 

A Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude foi criada há três meses. “Buscamos atuar na divulgação da rede de proteção à mulher e também com ações temáticas de conscientização para que elas entendam a consequência do abandono do estudo e a importância da qualificação para o mercado de trabalho”, disse a titular da pasta, Taíssa Gama. Sob responsabilidade do órgão existem duas casas de acolhimento e programas que fornecem auxílio aluguel e famílias para mulheres vítimas de violência.


Notcias Relacionadas

  • Juiz dos EUA barra política de transgêneros de Obama

  • Albergue Municipal de Porto Alegre oferece serviço pioneiro no País


  • ComentriosComentar Notcia

    Ainda no existem comentrios para esta notcia.
    Seja o primeiro a comentar!
    PUBLICIDADE




    PUBLICIDADE