Comunicar Mais      
Carta de vítima do Titanic deve ser leiloada por milhares de dólaresMundo    Imprimir

20/10/2017 16:00
Carta de vítima do Titanic deve ser leiloada por milhares de dólares
Embarcação era maior navio transatlântico em serviço quando se chocou com um iceberg em abril de 1912 viajando de Southampton a Nova York

Reuters 0 comentrio          

Uma carta manuscrita encontrada no corpo de um homem que morreu no naufrágio do Titanic deve ser vendida por até 105 mil dólares em um leilão no sábado. 
A carta, escrita pelo passageiro da primeira classe Alexander Oskar Holverson à sua mãe em papel timbrado com os dizeres “a bordo do Titanic”, descreve suas impressões do navio palaciano, elogiando a comida e a música.

“Se tudo correr bem, chegaremos em Nova York na manhã de quarta-feira”, escreveu Holverson um dia antes do encontro fatídico da embarcação com um iceberg.

Holverson era um vendedor nascido no Estado norte-americano de Minnesota que viajava com a esposa, Mary Alice, que sobreviveu ao desastre.

Na carta ele também descreve como ficou lado a lado de um dos passageiros mais famosos do barco.

“John Jacob Astor está neste navio”, disse a respeito do financista e investidor imobiliário norte-americano, um dos homens mais ricos do mundo à época.

“Ele se parece com qualquer outro ser humano, embora tenha milhões. Eles se sentam no convés com o resto de nós”.

A carta é uma das últimas de que se tem conhecimento a sobreviver ao naufrágio, e ainda tem manchas de sua permanência no Atlântico.

O Titanic era o maior transatlântico em serviço quando se chocou com um iceberg no dia 14 de abril de 1912 viajando de Southampton a Nova York. Mais de 1.500 pessoas morreram.

A correspondência está sendo leiloada pela família de Holverson na casa de leilões Henry Aldrige & Son, localizada em Devizes, cidade do sul da Inglaterra.



 


Notcias Relacionadas

  • Nova contagem revisa para 18 número de mortos em naufrágio em Salvador


  • ComentriosComentar Notcia

    Ainda no existem comentrios para esta notcia.
    Seja o primeiro a comentar!
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE