Comunicar Mais      
Acusada do desaparecimento de gata em condomínio em Salvador é denunciada pelo MP-BASegurança    Imprimir

13/10/2018 12:00
Acusada do desaparecimento de gata em condomínio em Salvador é denunciada pelo MP-BA
Animal foi levado em maio por vizinha de professora no bairro de Armação

Por Wagner Ferreira 0 comentrio          

O Ministério Público da Bahia denunciou Alessandra Cravetz pelo desaparecimento da gata Sacha de um condomínio em Salvador. A Promotoria do MP-BA tomou como base a Lei 9605/98 de crimes ambientais. O animal foi levado no dia 2 de maio da professora Ana Carolina Cardoso e desde então não foi encontrado.

A ação de Alessandra foi flagrada por câmeras de segurança do Condomínio Apart Service, no bairro de Jardim Armação, onde as duas moram.
Nas imagens, é possível ver a gata se aproximando do automóvel, que está com uma das portas abertas. Após alguns minutos, Alessandra se aproxima e coloca um tapete que está no chão dentro do carro. Depois disso, ela fecha a porta e sai. A gata já havia adentrado o veículo.  

Pela janela do carro, é possível ver o animal batendo no vidro do banco traseiro na tentativa de sair. A filha adolescente de Alessandra percebe que Sacha está dentro do veículo e foge correndo. Minutos depois, a criança volta com a mãe, as duas olham para a gata, a mulher parece usar o telefone e então sai com o veículo.

As imagens foram as últimas de Sacha, segundo a sua guardiã. Ela conta que sua filha também está sofrendo muito com o desaparecimento do animal. "Muito carinhosa, Sacha dormia nos pés dela", relembra.  

O fato foi registrado na 9ª Delegacia Territorial da Boca do Rio no dia 8 de maio. Em seu depoimento, Alessandra negou ter levado o animal, disse que seu carro, um Chevrolet Celta, fica aberto para tomar sol e o animal pode ter entrado no veículo sem que ela percebesse. 

Apesar da evidência das imagens, Alessandra respondeu, quando questionada por outros vizinhos o porquê de ter levado o animal e ela teria dito: “aquela gata vivia entrando em minha casa. Vocês queriam que eu fizesse o quê?”. À polícia, Alessandra disse, ainda, que foi ameaçada por parentes de Ana Carolina, que foi negado por ela. A professora revelou que Alessandra já havia se queixado várias vezes durantes as reuniões de condomínio da presença de um gato em sua cozinha, que também subia em sua cama. 

Um outro felino que apareceu por lá com filhotes foi acolhido por Ana Carolina, sob críticas de alguns moradores que invocavam as regras do condomínio quanto à proibição de animais. Ainda segundo a protetora de animais, houve até ameaças de matar a gata e seus filhotes.

Indiciada por furto, o processo contra Alessandra Cravetz foi recebido pela Promotoria do Meio Ambiente, que fez a denúncia no dia 18 de junho e aguarda decisão do juiz.
  


Notcias Relacionadas

  • Cadela prenhe é morta após ser amarrada e arrastada por caminhão em Lauro de Freitas-BA

  • Homem que acorrentava cães em Cajazeiras XI será processado

  • Vereadora de Salvador classifica vaquejada como "circo de horrores" e elogia STF ao proibir prática

  • Supremo Tribunal Federal considera vaquejada ilegal

  • Marcha da Defesa Animal acontece neste domingo (18) no Porto da Barra

  • Ambulante agride protetora de animais na Ribeira por tentar defender cão atingido por pedra


  • ComentriosComentar Notcia

    Ainda no existem comentrios para esta notcia.
    Seja o primeiro a comentar!
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE