Comunicar Mais      
 
Formol é encontrado em carnes da Friboi: talvez não seja tão confiável assim Brasil    Imprimir

03/12/2015 00:00
Formol é encontrado em carnes da Friboi: talvez não seja tão confiável assim
Procon pode multar empresa em até R$ 7 milhões

Vista-se 0 comentário          

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) do Paraná confirmou na tarde dessa terça-feira (1) que encontrou uma substância química conhecida popularmente como formol em amostras de carnes da empresa JBS-Friboi.

A carne foi processada em Naviraí, município distante 350 km de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. No mesmo dia em que o Procon do Paraná confirmou a irregularidade, o governo do Mato Grosso do Sul deu R$ 1 bilhão em incentivos para que a empresa construa 4 novos frigoríficos no estado.

O Procon instaurou processo administrativo para investigar o caso e, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), propôs que a empresa reconheça o erro e pague uma multa que pode chegar a R$ 7 milhões.

Para a imprensa do Paraná, a comunicação da JBS-Friboi limitou-se a dizer que a substância química encontrada nas análises é produzida pela própria carne. Análises de diversas outras marcas, no entanto, deram negativo para a substância encontrada nos produtos Friboi.

Embora proibido, o uso de formol para conservar carnes e leite têm se mostrado comum nos últimos anos. O formol é uma substância reconhecidamente cancerígena e sua ingestão traz diversos riscos à saúde.

Em outubro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a carne vermelha – mesmo sem formol – como “provavelmente cancerígena” (relembre aqui). Na mesma ocasião, as carnes processadas como bacon, salsicha, linguiça, presunto e outras foram classificadas como cancerígenas.

Portanto, além de ser a empresa que mais mata animais no mundo, ocasionando sofrimento inenarrável, a JBS-Friboi não parece ser aquela empresa confiável dos comerciais milionários da televisão.

Por Fábio Chaves



Notícias Relacionadas

  • Ministério da Agricultura confirma casos de vaca louca em Mato Grosso e Minas Gerais

  • O peso da pecuária para os gases-estufa

  • Turismo comunitário é tema de encontro no bairro do Uruguai

  • Supremo Tribunal Federal considera vaquejada ilegal


  • ComentáriosComentar Notícia

    Ainda não existem comentários para esta notícia.
    Seja o primeiro a comentar!
    PUBLICIDADE






    PUBLICIDADE